quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Quanto preciso investir para começar uma empresa?

16:22

  • SIGA

  • PARTILHE |

Quanto preciso investir para começar uma empresa?

Saber quando precisa investir para começar uma empresa é uma pergunta difícil que todo empreendedor deve fazer. Saiba como responder.


Alguns investem menos do que deveriam, enquanto outros injetam mais recursos do que o necessário no início da operação.

Seja como for, ambos os cenários são ruins (sim, muito dinheiro pode ser um grande problema e logo explicaremos o porquê).


É extremamente importante tirar um bom tempo para planejar as finanças na hora de começar uma empresa, pois assim é possível evitar surpresas como:

“Ainda estamos conquistando os primeiros clientes, o fluxo de caixa está começando a crescer, porém nossas reversas terminaram.”

“Como tínhamos muitos recursos disponíveis, investimos pesado em marketing e atraímos uma infinidade de potenciais clientes. Porém como a empresa estava iniciando, não possuíamos estrutura para atender essa demanda, e acabamos queimando nossas reservas e passando uma imagem negativa ao mercado”.


Estes cenários acontecem frequentemente e são um exemplo dos problemas que pode encontrar. Para ajudar você a escapar dessas armadilhas e planejar exatamente quanto deve investir em sua nova empresa, confira as seguintes três dicas.

1. Liste os 4 maiores custos da empresa (e elimine os não essenciais)


Quando um novo empreendedor começa a listar os custos essenciais de sua nova empreitada, é comum alocar altas quantias para duas áreas: marketing e vendas. Na maioria dos casos isso é um grande erro.


Ao apresentar um novo produto ao mercado, você deve focar em atingir inicialmente uma parcela de influenciadores daquele mercado, pessoas com autoridade que irão ajudar você a espalhar a notícia da sua empresa.

A melhor estratégia é criar um produto fantástico e depois apresentá-lo pessoalmente para um pequeno número de pessoas que tem a influência necessária para o ajudar a conquistar todo o mercado. Quando chega nesse ponto, comece a investir em alternativas de marketing.

2. Quando listar seus custos, cumpra o planejado…


Um cenário muito comum é que os empreendedores não cumpram o planejamento financeiro para poupar ao máximo. Fazendo isso você vai conseguir somente uma coisa: falir lentamente. Se você definiu que é essencial investir dinheiro numa ação específica, faça isso.

Se for imprescindível contratar uma consultoria para definir seu produto inicial (ou construir um protótipo) não deixe de realizar essa ação. Meias medidas trazem resultados medíocres. Não comprometa o sucesso de sua empresa pela ideia de um caixa mais recheado.

3. A regra dos 18 meses


Essa regra é muito simples: faça o seu plano de gastos como se nos primeiros 18 meses de operação sua empresa não fosse faturar nada, e teria que ser sustentadas pelos recursos aportados no capital social. Assim, você terá tranquilidade para trabalhar os primeiros meses sem medo.

Algumas variações da regra:


Se o seu produto está pronto para ser lançado em um mercado que você conhece bem e dentro do qual já possui uma rede de contatos e potenciais clientes em vista, então pode reduzir esse prazo de sustento da empresa pelo capital social para 12 meses.

Agora se sua empresa irá focar no desenvolvimento de soluções de alta tecnologia para a área de saúde, esse prazo pode aumentar para 36 ou 48 meses facilmente. O importante é imaginar a curva de adoção que o seu produto terá dentro de um nicho específico do mercado alvo.

Com base nessa informação, deve estimar o número de meses que você terá que sustentar a operação da empresa até transformar esse nicho em clientes pagantes. A estimativa de 18 meses é adequada para uma alta parcela de pequenas empresas em diversos segmentos. [Saia do lugar]

0 comentários:

Enviar um comentário

 

© 2013 DailyNegócios - Notícias sobre negócios e empreendedorismo. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top