terça-feira, 2 de setembro de 2014

5 mitos sobre empreendedorismo

12:04

  • SIGA

  • PARTILHE |

5 mitos sobre empreendedorismo
Com as pessoas a tentar navegar para longe da selva corporativa até à terra da suposta utopia empresarial, uma série de equívocos surgem.

Talvez isso tenha a ver com a comunicação social, o conselho que receberam ou o que se ouve através da viagem, mas muitas vezes essas ideias podem ser negativas.

De facto, podem inviabilizar uma pessoa de entrar corretamente no mundo das startup. Ou levá-los a saltar para o movimento empreendedor, quando eles não têm nada a fazer nesse mundo. 

Tendo em conta os riscos associados à criação de novas startups, conheça aqui os cinco principais mitos associados à ideia de empreendedorismo.

1. Se o meu produto ou serviço é bom, serei bem sucedido


Não necessariamente. Fornecer um grande serviço ou produto e descobrir como vendê-lo são coisas totalmente diferentes. As relações e conexões podem fazer uma enorme diferença particularmente no início, quando você ainda não construiu uma marca.

2. Vou ter completo sobre o meu horário


Bem, sim e não. Enquanto fundador não terá que picar o ponto, mas muitas vezes será escravo nos primeiros anos. Claro que muitos dos que mergulham no empreendedorismo são apaixonados pela sua missão e amam o que fazem, sendo que trabalham longas horas com prazer.

Mas cuidado com o mito de que os empresários não têm um rigoroso calendário apertado. Isso simplesmente não é verdade. Eles são responsabilizados todos os dias - seja pelos clientes, potenciais clientes, parceiros ou outras partes interessadas.

3. Nunca dar o seu produto ou serviço


Nem sempre é verdade. Às vezes, o valor de ficar na frente de seu público-alvo para mostrar suas habilidades ou produtos podem compensar o custo de oportunidade da receita perdida. Há uma razão pela qual as grandes empresas de produtos de consumo usam amostras como estratégia de marketing.

Se você vai optar por seguir este caminho de amostras, certifique-se de que é uma oportunidade para as pessoas terem uma verdadeira sensação do que eles estariam a comprar quando se tornassem clientes.

4. No início, preciso fazer tudo sozinho


Talvez sim, talvez não. Se você está a começar com capital limitado você precisa arregaçar as mangas e usar muitos chapéus. No entanto, muitas vezes torna-se mais eficaz e barato terceirizar funções-chave em áreas que você não é especialista para o seu sucesso do negócio.

Por exemplo, se você sabe que a sua empresa precisa de um website sofisticado, é arriscado fazê-lo você mesmo se não tem os conhecimentos técnicos necessários. Certamente que o melhor será provavelmente contratar alguém para o fazer.

Isso permite-lhe concentrar a sua energia em áreas onde você tem uma especialização particular e que exigem a sua atenção pessoal (ou seja, definir as suas ofertas e construir relacionamentos com os clientes).

5. Quantos mais clientes, melhor


Não é verdade. Mais uma vez, logo no início é tentador assumir que qualquer cliente que mostra interesse é bom para o negócio, mas na verdade pode ser arriscado. Muitos jovens empresários perdem ao tentar oferecer serviços diferentes para clientes diferentes, para captar todos.

O perigo é que, quando não definem claramente os produtos ou serviços, podem perder o foco e confundir o mercado nas suas áreas de especialização. Além disso, nem todos os clientes são bons. Alguns são de manutenção muito elevada, irrealistas e não confiáveis.

Você definitivamente deve ser seletivo o suficiente para eliminar os clientes que podem tornar-se um problema maior do que eles valem. Outro erro que os empresários fazem é assumir muitos clientes muito cedo.

Ao fazer isso você pode acabar diminuindo a sua credibilidade, qualidade e marca global, podendo ter consequências de longo prazo. [Entrepreneur]

0 comentários:

Enviar um comentário

 

© 2013 DailyNegócios - Notícias sobre negócios e empreendedorismo. All rights resevered. Designed by Templateism

Back To Top